segunda-feira, 29 de agosto de 2011

Tapajós em debate no Programa você é um Sucesso!


Nesta segunda-feira, 29, vai ao ar no programa VOCÊ É UM SUCESSO o quadro "TAPAJÓS EM DEBATE" com o doutor Edivaldo Bernardo presidente do Instituto Cidadão Pró Estado do Tapajós e o jornalista J. Ninos membro da comissão de marketing do Instituto.

Os debatedores responderam perguntas como: Se é verdade os boatos de dificuldades em convencer as lideranças das cidades da margem do rio Tapajós como Óbidos, Alenquer, Juruti, Monte alegre por causa do nome do novo estado "Tapajos"? Qual o papel do Duda Mendonça no processo da campanha? O quadro, vai ao ar uma vez por mês no programa e tem como objetivo tratar das atualidades do plebiscito do dia 11 de dezembro.


O programa desta segunda-feira marca o início da participação da jornalista Ronilma Santos no quadro MOMENTO DO SIM que será a repórter Tapajós, onde todo programa trará informações atualizadas das atividades do Instituto CIdadão Pró-Tapajós.

Fonte: Daniel (Noel)

sexta-feira, 26 de agosto de 2011

Versinhos para não se ler numa sexta-feira

Tá bom, tá bom, eu já sei.

Preciso cair na real. Preciso ler mais jornal. Preciso estudar português. Preciso lembrar do inglês. Preciso ver menos TV. Preciso montar meu CV. Preciso pular já da cama. Preciso ralar por mais grana. Preciso trocar minhas pilhas. Preciso pegar alguns frilas. Preciso voltar com meu blog. Preciso manter algum hobby.

Tá bom, tá bom, eu já sei.

Preciso sair pela estrada. Preciso fazer caminhada. Preciso cortar as gorduras. Preciso comer mais verduras. Preciso baixar a glicose. Preciso tratar a lordose. Preciso ver meu analista. Preciso voltar ao dentista. Preciso vencer a fadiga. Preciso perder a barriga. Preciso hidratar o meu rim. Preciso cuidar mais de mim.

Tá bom, tá bom, eu já sei. Preciso partir para a ação. Preciso sentir mais paixão.

Mas é sexta, porra, me solta.

Segunda eu começo.

Sem falta.

(Texto Duda Rangel)

terça-feira, 23 de agosto de 2011

Para que serve um bom perfil?


Olhando centenas de perfis em diversas redes sociais, até pensei em repaginar meu perfil no facebook, coitado sem nada, nem escolaridade, só a data de aniversário, afinal não posso desperdiçar uma possível oportunidade de ganhar além dos parabéns, um presentinho (sugiro livros: o pequeno príncipe ou o conde de Monte Cristo)

Mas fora isso, acho tão estranho fazer "publicidade" de mim mesma, não que eu não faça de vez em quando, mas de "vez em sempre", nem eu aguento!
Além disso, sou contra propaganda enganosa

Quantos perfis maravilhosos nas redes, alias...pensando aqui com meus botões, quando eu quiser achar o homem dos meus sonhos....Não vou no Facebook! Vai dar muito trabalho a seleção de tantos caras legais, gentis e encrivelmente românticos (pra nao dizer apenas conquistadores)que estão cadastrados lá. Por que eu nunca vi esse pessoal antes? Com tantos perfis assim, na rua eu não deveria esbarrar num desses, fácil, fácil?

Afinal, o que eu poderia escrever sobre mim? Que eu sou por natureza do contra? Que tenho um humor desgraçadamente negro,."PEIMMM!". Descartada, próximo perfil!...Sem talento para exibicionismo e bom mocismo.

Acho um tédio essa idealização da figura humana,esse mito do herói contemporâneo, geração Super-homem, Mulher Maravilha, Lois Lane (sem graça), onde estão Robin Hood ou o corajoso e destemido Lâmpião, o cangaceiro?

Prefiro os encantos da vida real, do ser humano que cai, levanta-se e ainda ferido, decide continuar, esse terá sempre uma lição para ensinar e não apenas ladainha pra contar..

Tô de saco cheio...



As diferentes maneiras de contar a mesma história...

Se a história da Chapeuzinho Vermelho fosse verdadeira, como ela seria veiculada pela imprensa brasileira?

*Jornal Nacional*

(William Bonner): ‘Boa noite. Uma menina chegou a ser devorada por um lobo na noite de ontem…’

(Fátima Bernardes): ‘…mas a atuação de um caçador evitou a tragédia.’

*Programa da Hebe**

"…Que gracinha, gente! Vocês não vão acreditar, mas essa menina linda aqui foi retirada viva da barriga de um lobo,
não é mesmo?"

*Cidade Alerta*

"…Onde é que a gente vai parar, cadê as autoridades? Cadê as autoridades? A menina ia pra casa da vovozinha a pé! Não tem transporte público! Não tem transporte público! E foi devorada viva…
Um lobo, um lobo safado. Põe na tela, primo! Porque eu falo mesmo, não tenho medo de lobo, não tenho medo de lobo, não!"

*Superpop*

"Geeente! Eu tô aqui com a ex-mulher do lenhador e ela diz que ele é alcoólatra, agressivo e que não paga pensão aos filhos há mais de um ano. Abafa o caso!"

*Globo Repórter*

"Tara? Fetiche? Violência? O que leva alguém a comer, na mesma noite, uma idosa e uma adolescente?

O Globo Repórter conversou com psicólogos, antropólogos e com amigos e parentes do Lobo, em busca da resposta.

E uma revelação: casos semelhantes acontecem dentro dos próprios lares das vítimas, que silenciam por medo. Hoje, no Globo Repórter.."

*Discovery Channel*

"Vamos determinar se é possível uma pessoa ser engolida viva e sobreviver."

*Revista Veja*

"Lula sabia das intenções do Lobo."

*Revista Cláudia*
Como chegar à casa da vovozinha sem se deixar enganar pelos lobos no caminho."

*Revista Nova*

"Dez maneiras de levar um lobo à loucura, na cama!"

*Revista Isto É*
*Revista Playboy*

(Ensaio fotográfico com Chapeuzinho no mês seguinte): "Veja o que só o lobo viu."

*Revista Vip*

"As 100 mais sexies - Desvendamos a adolescente mais gostosa do Brasil!"

*Revista G Magazine*

(Ensaio com o lenhador) "O lenhador mostra o machado."

*Revista Tititi*

"Lenhador e Chapeuzinho flagrados em clima romântico em jantar no Rio."

*Folha de São Paulo*

"Lobo que devorou menina era do MST"

*O Estado de São Paulo*

"Lobo que devorou menina seria filiado ao PT."

*O Globo*

"Petrobrás apóia ONG do lenhador ligado ao PT, que matou um lobo para salvar menor de idade carente."

*O Povo*

"Sangue e tragédia na casa da vovó."


quinta-feira, 18 de agosto de 2011

Furo Nos Estados: Pará 12.07.11



Veja como o Pará é "retratado".

Confissões de uma ex-viciada...




Nada de convulsões, dores musculares, taquicardia, secura na boca, ansiedade...


A ponta dos meus dedos até voltou ao normal, não há marcas, nem calos

Meu corpo já nem sente os efeitos dessa abstinência

Ainda uso, não nego!

Mas em doses moderadas, diria até mínimas, na verdade necessárias.
Mas posso afirmar, estou limpa cara! Estou limpa!

No inicio, confesso, não foi uma reabilitação tranquila
Mas tive que punir a mim mesma, foi como um autoflagelo...
O apoio da família e dos amigos foi fundamental, nesse momento tão difícil e complicado.
Mas, agora, sobrevivo dias sem...
Internet.

E já não abro meus e-mails com uma agilidade excêntrica!
"Ela" já não me causa insônia (Além da que tenho desde criança)
Já não estou em dezenas de redes sociais.
Também já nem carrego um notebook para todos os lados.
E até meus planos e hábitos mudaram...
Já não penso em ter um filho e chamá-lo de "www.iliam"
E nem tento ver minha espinha no google earth rsrs
Enfim, me livrei dessa psicose internética..

*Ronilma Santos, jornalista, blogueira, ex- viciada em internet.
Disponível para palestras e grupos de auto ajuda.



quarta-feira, 17 de agosto de 2011

terça-feira, 16 de agosto de 2011

sábado, 6 de agosto de 2011

A Morte Devagar


Morre lentamente quem não troca de idéias, não troca de discurso, evita as próprias contradições.

Morre lentamente quem vira escravo do hábito, repetindo todos os dias o mesmo trajeto e as mesmas compras no supermercado. Quem não troca de marca, não arrisca vestir uma cor nova, não dá papo para quem não conhece.

Morre lentamente quem faz da televisão o seu guru e seu parceiro diário. Muitos não podem comprar um livro ou uma entrada de cinema, mas muitos podem, e ainda assim alienam-se diante de um tubo de imagens que traz informação e entretenimento, mas que não deveria, mesmo com apenas 14 polegadas, ocupar tanto espaço em uma vida.

Morre lentamente quem evita uma paixão, quem prefere o preto no branco e os pingos nos is a um turbilhão de emoções indomáveis, justamente as que resgatam brilho nos olhos, sorrisos e soluços, coração aos tropeços, sentimentos.

Morre lentamente quem não vira a mesa quando está infeliz no trabalho, quem não arrisca o certo pelo incerto atrás de um sonho, quem não se permite, uma vez na vida, fugir dos conselhos sensatos.

Morre lentamente quem não viaja, quem não lê, quem não ouve música, quem não acha graça de si mesmo.

Morre lentamente quem destrói seu amor-próprio. Pode ser depressão, que é doença séria e requer ajuda profissional. Então fenece a cada dia quem não se deixa ajudar.

Morre lentamente quem não trabalha e quem não estuda, e na maioria das vezes isso não é opção e, sim, destino: então um governo omisso pode matar lentamente uma boa parcela da população.

Morre lentamente quem passa os dias queixando-se da má sorte ou da chuva incessante, desistindo de um projeto antes de iniciá-lo, não perguntando sobre um assunto que desconhece e não respondendo quando lhe indagam o que sabe.

Morre muita gente lentamente, e esta é a morte mais ingrata e traiçoeira, pois quando ela se aproxima de verdade, aí já estamos muito destreinados para percorrer o pouco tempo restante.

Que amanhã, portanto, demore muito para ser o nosso dia. Já que não podemos evitar um final repentino, que ao menos evitemos a morte em suaves prestações, lembrando sempre que estar vivo exige um esforço bem maior do que simplesmente respirar.

Martha Medeiros